I am asking you with all my mouth

I am asking you with all my mouth
deita por favor a minha cabeça no teu colo
Preciso de um lugar onde pousar os olhos

Estou de pé à porta do teu quarto
perdi todas as coisas inclusive a voz
Ao reclinar-me sobre os móveis reparo que esqueci
todos os volumes de Marx que me pediste
para te sublinhar apenas Éluard com o indicador
Éluard vai explicar-te o porquê de seres um jardim
onde se vem para morrer ou para ouvir jazz

How much do you love Thelonius?
How much do you love Mingus?

Who the hell do you love the most?

Preciso urgentemente de fechar os olhos
durante as horas em que se formam os círculos
os círculos os círculos vês os círculos os círculos
as horas em que fixas na minha pele as equações
pelas quais as flores abrem um espaço no quintal

Escuta estou muito perto de ser uma árvore
às traseiras do teu prédio na Macedónia
no Haiti ou em Xangai

Vim até aqui para acabar
no centro alado da cama
na quadratura da mesa da tua cozinha
no parapeito de um sofá amarelo torrado

Estou aqui como nunca estive
na camada viva da terra
e há as leis os períodos de uma matemática
confusa e ilimitada
Repara por exemplo como são húmidos os meus olhos
Pregados nos teus

Listen,
a lake is a body of relatively still water of considerable size
localized in a basin, that is surrounded by land
understand?

Vim dizer-te que encontrei nas tuas pernas
o andamento de uma criança intemporal
que o amor me paralisou as mãos
com que desenhei o funcionamento do universo
E o universo não era mais que uma ária de Bach
cruzando-se com o redemoinho dos teus dedos
quando arrumas os cabelos acima da testa