Piquetes & outros talentos

 Outros sonhadores de  Sangue do Meu Sangue,  filme de João Canijo

Outros sonhadores de Sangue do Meu Sangue, filme de João Canijo

1. Piquete

Era um escritor, um piquete, que não hesitava em saltar da cama às duas da manhã se soubesse que à porta de casa passaria um desses vultos ou figurões que, a troco de uma lambidela, ofereciam carreira.

2. Talento

José, poeta talentosíssimo a seus próprios olhos e de sua mãe, doce mamã, comparecia em qualquer apresentação de livro que contasse com a presença de renomeados versejadores. Abancava na primeira fila com o seu prateado revólver entre as pernas, rilhava os dentes, maldizia em surdina, indignava-se com a fraca qualidade de quem apresentava os livros, com a pobreza dos poemas dos outros, conspirava, garantia que um dia seria ele a apresentar e a escrever, que um dia seria pelo seu nome que os batedores de palmas se comoveriam, escarrava e enchia o peito de ameaças, ameaças silenciosas, de esfolar e de despedaçar crânios daqueles artistas, que artistas, populaça, ralé.

3. Deputados

Sempre que escutava um deputado vaidoso do seu próprio pensar, senhor da razão, recordava tantos outros fleumáticos parlamentares que no presente envergonhavam quem lhes pronunciasse o nome.

4. Letra em amizade

“Falta-lhe uma letra em amizade”, avaliou o psiquiatra, ao ler a dedicatória do livro que lhe fora oferecido pelo paciente. 

5. Esfregona

“Nasci para brilhar”, proclamou, agarrada à esfregona com que esperava ainda espalhar magia pelo país, a abrutalhada filha da dona da mercearia.

6. Angélica

 Angélica escondia os braços esfarrapados e a gruta escavada na nuca e prometia não voltar a tocar no que não lhe pertencia. A experiência servira-lhe de lição, se aquilo que uma parede de betão transformara em sucata permanecesse no fundo do rio, se os patrões se limitassem a comprar outra mota para o filho adolescente, restringiria a sua área de interesse à panela da sopa. Estrear prendas destinadas a outrem é que não, credo, o que diria o finado pai, arrancar a mais de noventa quilómetros por hora em direcção a um muro, desavergonhada, putéfia. Isso diria o velho, escondido por trás do jornal diário.